jusbrasil.com.br
10 de Maio de 2021

Facebook x FaceGlória

Em notificação extrajudicial, Facebook solicita mudança de nome

Marcello Stutz, Jornalista
Publicado por Marcello Stutz
há 6 anos

O Facebook pediu aos donos do FaceGlória que mudem o nome e endereço da rede social voltada a evangélicos e inspirada no site de Mark Zuckerberg.

A solicitação foi feita por meio de notificação extrajudicial enviada em 1º de julho pelo escritório de advocacia Danneman Siemsen Advogados, que assessora o Facebook em questão relacionadas a propriedade intelectual.

Facebook x FaceGlria

O documento é direcionado à empresa Alpha Atlantic, responsável pela gestão do registro de marcas. O escritório do Facebook pede que o FaceGlória “redirecione usuários para outro sítio na internet, que não se confunda com o Facebook, ou seja, não contenha os termos FACE ou BOOK, qualquer logo de propriedade do Facebook, ou utilize qualquer estilização ou aparência que possa criar risco de associação com a rede social Facebook”.

Propriedade intelectual

O pedido do site norte-americano esbarra na lei brasileira, que respalda o FaceGlória. O registro da marca FaceGlória foi concedido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) em fevereiro de 2012 a Acir Filló dos Santos, responsável pelo site.

O Facebook, por sua vez, possui 15 registros de marca, concedidos pelo órgão entre 2006 e 2009. “Embora o Inpi tenha adotado posição diferente, a nosso ver essa marca infringe a Lei de Propriedade Industria porque, além de ser uma reprodução parcial da notoriamente conhecida marca ‘Facebook’, ela protege serviços idênticos àqueles protegidos pela marca ‘Facebook’”, informação descrita na notificação extrajudicial.

Como prova de sua notoriedade, o Facebook lembra ter 1,44 bilhão de usuários, que enviam 45 bilhões de mensagens por mês e veem 4 bilhões de vídeos por dia.

Segundo a legislação citada no documento, cada registro de marca deve ser feito para classes específicas de serviços ou produtos. Por isso, a rede de Zuckerberg possui mais de uma dezena de registros, para serviços tão diversos quanto o fornecimento de “ferramentas de desenvolvimento de software” ou de “salas de bate-papo”.

3 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

"Face" e "Book" viraram marcas registradas do Facebook? Puxa vida, como os dicionários estão desatualizados! Ainda não peguei nenhum que nos verbetes "face" e "book", estivesse indicando a "trademark"! continuar lendo

Eduardo, você já viu???? É plágio! Exatamente igual, e sim FACEBOOK é registrado e seria no mínimo, ingenuidade não ver o óbvio, que os evangélicos que fazem o inferno dentro da Rede social mencionada, fizeram um "genérico" para destilarem seu veneno à tudo que o "Deus" deles reprova.

Eu não concordo com o Zuckerberg, mas po que adoraria ver os evangélicos à La ISIS - intolerantes, semianalfabetos e sem argumentos, que na falta destes se utilizam de palavras de baixíssimo calão (cristãos?....) fora do Facebook.

Mas pela ótica empresarial ele está mais do que correto. Além do dízimo que extorquem com promessas de paraíso, ainda querem se locupletar da ideia visionária dos outros só porque sofrem de atrofia cerebral.

P.S Meus comentários são direcionados à certa camada dos ditos "evangélicos" que somente demonstram ódio, mandando pessoas para lugares que sequer ouso (ou posso) mencionar aqui em um comportamento agressivo e anticristão. continuar lendo

Será que não há um único evangélico no Brasil que seja atuante em uma agência de publicidade capaz de criar um nome e uma logo pra rede social deles?

Fala sério que isso vai render briga judicial. continuar lendo